O protesto, a baderna e o resto

Não há nada de interessante no ‘despertar do gigante’. Na verdade, ele só despertará mesmo se mudarem as caras dos manifestantes e os meus vizinhos começarem a reclamar da falta de dinheiro. O que me incomoda, fora o discurso da mídia conservadora, é que tem uma brisa fascista circulando pelo Brasil. Por Najar Tubino, de Porto Alegre

Najar Tubino

Porto Alegre – Vou começar pelo resto. Dia 20 de junho, uma quinta-feira, pensei em assistir a um filme na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre. Quinta é o dia da promoção – R$5,00 por cabeça. Continuar lendo

Brasil repete para a Copa de 2014 os erros de mais de 60 anos atrás

Pesquisa revela semelhanças inesperadas entre o evento profissional com o semiamador de 1950

Obras atrasadas, sedes escolhidas por motivos políticos e incertezas até o último momento. Essa poderia ser a história da Copa de 2014. Mas, na realidade, são acontecimentos que marcaram a outra Copa do Mundo que ocorreu no Brasil, a de 1950, símbolo do esforço de um país para se projetar pela primeira vez internacionalmente. Um levantamento realizado por quatro pesquisadores e jornalistas – Beatriz Ferrugia, Diego Salgado, Gustavo Zucchi e Murilo Ximenes – revela como o Mundial de 1950 foi preparado, suas intrigas políticas e desafios. O futebol era outro. O Brasil certamente também era outro e a própria Fifa não é a megapotência que hoje controla o maior esporte do planeta. Continuar lendo