Campo Magnético da Terra – reversão dos pólos

Se pesquisarem no Google, vêem cerca de 3 milhões de websites a “profetizar” o fim do mundo para 2012 devido à inversão do campo magnético da Terra.

Se não entrarmos por fantasias, próprias de quem quer fomentar o medo, de modo a manipular a população… o que resta é a verdade. E qual é essa verdade? Continuar lendo

ESPECIAL FENÔMENOS CLIMÁTICOS – textos sobre alguns conceitos e fenômenos climáticos mais comuns

ESCLARECENDO ALGUNS CONCEITOS

  • TEMPO E CLIMA

É muito comum haver confusão entre o que é tempo e o que é clima. Porém, estes são dois fenômenos diferentes, mesmo que se encontrem inter-relacionados.

No dia-a-dia, a previsão do tempo é a estimativa do que se espera que ocorra em termos de temperatura e de precipitação pluvial em um curto período. Nesse sentido o tempo está constantemente mudando: em um certo dia pode fazer sol pela manhã, mas chover pela noite ou podemos ter uma semana chuvosa e outra ensolarada. Já a sucessão dos tipos de tempo registrados por um determinado período é o clima. Assim, para definir o clima com maior exatidão, é necessário considerar a média das variáveis climáticas em um longo período.

  • AQUECIMENTO GLOBAL OU MUDANÇAS CLIMÁTICAS?

As mudanças do clima e o aquecimento global estão inter-relacionados, mas não são o mesmo fenômeno. Como vimos, é natural que a Terra passe por alterações climáticas, esfriando e esquentando em diferentes momentos. Em séculos passados, lagos ficaram anos congelados na Europa e longos períodos de clima estável foram sucedidos por glaciações. Outra confusão comum é pensar que qualquer evento atípico ou extremo é resultado da mudança do clima. Se, por exemplo, há um inverno muito rigoroso, ou um período muito quente, isso não significa que esteja ocorrendo uma mudança climática, pois na história do planeta sempre houve extremos de frio e de calor, independentemente desse tipo de fenômeno.

Já o aquecimento global, no contexto dos debates atuais, é realmente um aumento da temperatura além do natural – e da capacidade da atmosfera em reter calor. Em resumo, a questão do aquecimento da Terra está diretamente relacionada à quantidade de energia que entra (via radiação solar) e sai (via calor) da Terra.

Aí entra em cena a polêmica sobre as causas desse aquecimento: qual parcela diz respeito às causas naturais e qual resulta da contribuição das atividades humanas, com o progressivo aumento na concentração dos gases de efeito estufa na atmosfera nos últimos 150 anos. Continuar lendo

O homem que venceu o gelo

A lendária jornada de Roald Amundsen, o primeiro homem a desbravar o Polo Sul

por Caroline Alexander
Com um agasalho de pele de lobo como os usados pelos esquimós netsiliks, Amundsen posa na neve, perto de sua casa na Noruega. Esta foto foi usada em suas palestras e para publicidade.

Com um agasalho de pele de lobo como os usados pelos esquimós netsiliks, Amundsen posa na neve, perto de sua casa na Noruega. Esta foto foi usada em suas palestras e para publicidade.

“12 de setembro – terça-feira. Visibilidade ruim. Aragem irritante do S. -52°C. Os cães, prejudicados pelo frio. Os homens, rígidos nas roupas congeladas, mais ou menos satisfeitos depois de uma noite na geada […], perspectiva de tempo mais brando duvidosa.”

O autor dessa lacônica anotação em um diário era Roald Amundsen, norueguês que cinco anos antes ganhara fama por ter sido o primeiro a fazer a travessia de navio na lendária passagem Noroeste, que liga o Atlântico ao Pacífico. Agora ele estava no outro extremo do mundo, na Antártica, em busca do mais prestigioso prêmio que o mundo da exploração ainda oferecia: o polo Sul. Planejada com a típica meticulosidade nórdica, essa arrojada empresa era também resultado de um acaso. Dois anos antes, Amundsen, que andava absorto em planos de ampliar sua exploração do oceano Ártico e, quem sabe?, chegar ao limite setentrional, recebeu a notícia (depois contestada) de que Robert Peary já fincara sua bandeira no polo Norte. Foi o momento da guinada, como ele relembra: “Decidi mudar minha meta, fazer meia-volta e encarar o Sul”. Concluiu que, se conquistasse o outro polo, garantiria a fama e os financiamentos para futuras expedições. Em francos preparativos para o Ártico, ele planejou em segredo sua ida ao outro extremo do globo. Continuar lendo