1982 – Israel ataca Líbano na operação “Paz na Galiléia”

Invasão israelense tinha como objetivo impedir ação da OLP em território libanês; palestinos foram obrigados a deixar local

Após as vitórias sobre os vizinhos árabes na Guerra do Seis Dias e posteriormente na Guerra de Yom Kipur, Israel teve de admitir que a resistência palestina não estava morta, ainda que se manifestasse de maneira mais difusa.

Israel acreditou poder dobrá-la desencadeando em 6 de junho de 1982 um ataque contra o Líbano, minado, à época, por graves divisões internas ligadas à atitude a adotar face aos combatentes palestinos que recuaram para o sul do país.


Tropas de Israel em ação no Líbano; invasão israelense foi arquitetada por Ariel Sharon, então ministro da Defesa Continuar lendo

Seis olhares sobre o reconhecimento da Palestina na ONU

Roxanne Horesh – Al Jazeera

Uma delegação de líderes palestinos voou para Nova York para a abertura da Assembleia Geral da ONU, que começou em 19 de setembro, para requerer a participação de um estado palestino como membro pleno da organização.

Altos oficiais da Organização para Libertação da Palestina (OLP) disseram que iriam ao Conselho de Segurança. À proposta palestina opõem-se Israel e Estados Unidos, com o último ameaçando vetar qualquer proposta de participação plena na ONU.

Esse movimento diplomático de alto risco chamou a atenção internacional e atraiu controvérsia. Especialistas e analistas dizem que o destino da proposta é incerto. Eles concordam que marca uma mudança de estratégia, frente às negociações bilaterais anteriores, que até agora fracassaram em trazer à tona um estado palestino. Continuar lendo

ESPECIAL QUESTÃO PALESTINA – 3ª PARTE – duas matérias sobre a busca Palestina pelo reconhecimento da ONU

Entenda a tentativa palestina de se tornar membro efetivo da ONU

Na próxima semana, Abbas deve reivindicar o reconhecimento internacional do Estado palestino

Na próxima semana, durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, pedirá a inclusão da Palestina como membro-pleno do órgão internacional. O presidente palestino deve reivindicar também o reconhecimento internacional do Estado com as fronteiras de 1967 e com Jerusalém Oriental como capital. Continuar lendo