Chavismo completa 15 anos no poder neste domingo; relembre fatos mais marcantes

Com frases de efeito, medidas populares e forte resistência opositora, chegada de Hugo Chávez ao poder foi divisor de águas na Venezuela

1999
Eleito com 56% dos votos no ano anterior, Hugo Chávez assume a presidência no dia 2 de fevereiro de 1999 jurando sobre o que classificou como “moribunda Constituição”. Com aprovação popular, uma Assembleia Constituinte para a redação de nova Carta Magna é convocada. Em dezembro, os venezuelanos aprovam o teor da nova Constituição, que passa a substituir a de 1961.

Hugo Chávez durante visita ao Brasil, em 2003

Continuar lendo

Legalização das drogas é defendida por figuras mundiais relevantes

Cresce na América Latina a movimentação de líderes e presidentes na defesa da discussão de um modelo de combate não repressivo

Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, propõe uma nova abordagem contra as drogas

Conforme se consolidam exemplos positivos de países que legalizaram o consumo de drogas, como Portugal, evidencia-se que a repressão militar às drogas consumiu bilhões de dólares e gerou violência sem conter a expansão do poder do narcotráfico. Até mesmo os Estados Unidos parecem dispostos a abandonar a política da “guerra às drogas”, impulsionados pela pressão de figuras relevantes na política internacional e regional, especialmente da América Latina.

Continuar lendo

Obama fala em alternativas à política antidrogas na América Latina, mas rechaça legalização

Presidente disse ainda que as novas políticas sobre o tema devem considerar também a demanda norte-americana por drogas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste sábado (14/04) durante seu discurso na 6ª Cúpula das Américas, em Cartagena, na Colômbia, que é favorável ao debate de novas alternativas para a atual política antidrogas na América Latina. Obama, no entanto, rechaçou a hipótese de legalizar os entorpecentes na região.

Obama participou de uma conversa com Dilma Roussef e Juan Manuel Santos

Obama participou de uma conversa com Dilma Roussef e Juan Manuel Santos

Continuar lendo