Primavera não, pleno inverno

Do golpe de Estado que derrubou Morsi brota o inevitável, o contrário da democracia. Por Gianni Carta

638 civis e 49 policiais mortos: são os números da tragédia que ensanguentou as praças do Cairo

Nos sangrentos choques que abalaram o Egito na quarta-feira 14, segundo números oficiais 638 civis e 49 policiais morreram. Somente na mesquita incendiada Rabaa Al-Adawiya jazem 250 corpos à espera do enterro. À beira de uma guerra civil, o Egito tornou-se o primeiro país da chamada Primavera Árabe a produzir o oposto da almejada democracia: uma ditadura militar. Continuar lendo