Como ocorreu o milagre econômico de Hong Kong – da pobreza à prosperidade

Hong Kong, dias atuais

Com milhões de refugiados chineses, sofrendo com um embargo comercial e com sua infraestrutura estrangulada, a Hong Kong do início da década de 1950 parecia confirmar os prognósticos pessimistas feitos no século XIX.

No entanto, esta enxurrada de refugiados era composta por milhões de indivíduos que, embora completamente pobres, fugiram para Hong Kong em busca de liberdade.  E embora Hong Kong não possuísse a infraestrutura adequada para recebê-los, ela fornecia ampla liberdade para qualquer indivíduo que quisesse colocar seus talentos empreendedoriais em ação.

Não havia na ilha as mesmas restrições cambiais vigentes no Reino Unido e em grande parte da Europa — o que significava que o dólar de Hong Kong, que era ancorado à libra esterlina, era livremente conversível em outras moedas —, e a quantidade de regulamentações sobre a economia era desprezível.

A combinação entre mão-de-obra à procura de trabalho e empreendedores com conhecimento e algum capital oriundos de Xangai — até então a grande cidade capitalista chinesa — forneceu a matéria-prima para o crescimento industrial iniciado na década de 1950.  A economia começou a prosperar. Continuar lendo

Política e ideologia na China contemporânea

Gruas e guindastes representam mais a China de hoje do que a foice e o martelo. São esses os grandes símbolos nacionais na atualidade.

Vinicius Wu

A política chinesa é um dos maiores enigmas do mundo contemporâneo. A vitalidade e a estabilidade do regime comunista, duas décadas após a falência de seus congêneres do Leste Europeu, seguem intrigando analistas e observadores de diferentes países e vertentes ideológicas. As questões levantadas a seguir pretendem refletir sobre a estrutura política que, afinal, dará suporte àquela que será, em breve, a maior economia do planeta.

Especular sobre o presente e o futuro da nação de 1,3 bilhões de seres humanos é algo tão tentador quanto necessário – ao menos para aqueles que se preocupam com a compreensão do mundo no qual vivemos. Mas, de antemão, é preciso reconhecer que se trata de um terreno arriscado, afinal, a desinformação a respeito da realidade chinesa segue contribuindo para a reprodução de uma série de estereótipos em torno de diagnósticos pouco precisos no Ocidente. Além disso, a experiência nos ensina que análises a respeito da estabilidade de um determinado regime político devem ser cautelosas e pacientes. A história costuma ser bastante irônica com avaliações marcadas por assertivas definitivas e certezas irrevogáveis. Continuar lendo

China vai reduzir restrição a filho único, diz mídia estatal

Sistema de ‘reeducação através do trabalho’ também será abolido.
Mudanças foram definidas em importante plenária do Partido Comunista.

O governo da China vai relaxar sua política de filho único, iniciada em 1979, anunciou a mídia estatal nesta sexta-feira (15).

Também foram anunciados a redução da aplicação da pena de morte e o fim do sistema de “reeducação através do trabalho”.

Após uma importante reunião plenária, que terminou na terça-feira, o PCC também anunciou mais facilidades para o investimento privado, em uma tentativa de manter o ritmo de crescimento da economia chinesa.

As novidades foram reveladas pela agência de notícias oficial Xinhua. Continuar lendo

A China envelhece: asilo em Pequim tem fila de espera de décadas

Mudanças provocadas pela Política do Filho Único e o crescimento econômico desequilibrou relação familiar

A Casa de Bem-Estar Social N.1, a mais famosa instituição para o cuidado de idosos da capital chinesa, está com sua capacidade lotada. Há mais de dez mil pessoas na lista de espera por um dos 1,1 mil leitos disponíveis, o que faz com que a obtenção de uma vaga possa ultrapassar o tempo de vida dos candidatos.

O motivo para a superlotação se concentra na transformação econômica pela qual o país passa desde a época da reforma de 1979. A lei do filho único estabelecida naquele ano diminuiu as famílias; a mobilidade social advinda com o processo de urbanização separou os filhos de seus pais, que foram deixados em seus vilarejos na zona rural e a inserção das mulheres no mercado de trabalho impossibilitou que as noras cuidassem de seus sogros, como manda a cartilha cultural mandarim baseada na filosofia de Confúcio.

Continuar lendo

Sobre o desenvolvimento chinês

Chou en Lai e Richard Nixon, em seu encontro histórico de 1972, em Beijing

Qual a origem das reformas que transformaram país em potência global. Por que relacionam-se a política — não a capitalismo

Por José Luís Fiori*

“Sou leigo no campo da economia. Fiz alguns comentários a respeito do assunto,
mas todos de um ponto de vista político.
Por exemplo, propus uma política de abertura econômica chinesa para o mundo exterior,
mas, quanto aos detalhes ou especificidades de sua implementação,
sei muito pouco de fato.”

Continuar lendo