Maioria dos acusados por Tribunal Penal Internacional continua à solta

Há 13 mandados pendentes, mas TPI depende de países para prender indiciados; procurados ocupam cargos públicos

Criado em 2002 por meio do Estatuto de Roma e estabelecido em Haia, na Holanda, o TPI (Tribunal Penal Internacional) já indiciou 25 pessoas até hoje. Dessas, 13 são oficialmente fugitivas. Diferentemente do que a palavra sugere, porém, elas não estão se escondendo ou fugindo das autoridades. Algumas inclusive ocupam altos e visíveis cargos nos governos de seus países. É o caso do atual presidente do Sudão, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, e de seu ministro da Defesa, Abdel Rahim Hussein.

Continuar lendo