Há 30 anos, em São Paulo, o 1º grande comício das Diretas Já

No dia em que a cidade completou 430 anos, 200.000 pessoas se reuniram na Praça da Sé exigindo eleições para presidente

Comício das Diretas Já, na Praça da Sé

Há 30 anos, o aniversário da cidade de São Paulo era marcado por um dos comícios mais importantes do movimento pelas Diretas Já, que exigia a retomada do voto popular para presidente da República. No local onde foi fundada a capital paulista, a Praça da Sé, cerca de 200.000 pessoas gritavam: “Um, dois, três, quatro, cinco, mil. Queremos eleger o presidente do Brasil!”

A manifestação de 25 de janeiro de 1984 marcava a intensificação da campanha das Diretas Já. Depois de vinte anos amordaçados, os cidadãos brasileiros saíram às ruas para pedir a volta da democracia ao país. O regime militar estava com seus dias contados. Entre janeiro e abril de 1984, dezenas de comícios foram organizados nas principais cidades brasileiras. O maior deles teve São Paulo como palco. Cerca de 1,5 milhão de pessoas foram ao Vale do Anhangabaú, no centro da cidade. Continuar lendo

Sudeste é única a reduzir homicídios entre 1998 e 2008, diz Banco Mundial

Um estudo do Banco Mundial divulgado nesta sexta-feira aponta que a região Sudeste foi a única que teve queda na taxa de assassinatos no Brasil, entre 1998 e 2008. De acordo com dados da instituição internacional, as políticas de segurança adotadas por três Estados do Sudeste foram importantes para reduzir os índices de homicídio na região.

Entre as políticas citadas pelo banco estão ações policiais implantadas no Estado de São Paulo, como o uso de um sistema de monitoramento de ocorrências criminais, disque-denúncia (em que cidadãos denunciam crimes) e a captura de criminosos responsáveis por múltiplos assassinatos.

São Paulo é o destaque da publicação do Banco Mundial, que mostra que, de 1999 a 2008, o Estado reduziu em 66% a taxa de homicídios. A cidade de São Paulo teve queda de 76% nos assassinatos no mesmo período.

Continuar lendo

Brasil repete para a Copa de 2014 os erros de mais de 60 anos atrás

Pesquisa revela semelhanças inesperadas entre o evento profissional com o semiamador de 1950

Obras atrasadas, sedes escolhidas por motivos políticos e incertezas até o último momento. Essa poderia ser a história da Copa de 2014. Mas, na realidade, são acontecimentos que marcaram a outra Copa do Mundo que ocorreu no Brasil, a de 1950, símbolo do esforço de um país para se projetar pela primeira vez internacionalmente. Um levantamento realizado por quatro pesquisadores e jornalistas – Beatriz Ferrugia, Diego Salgado, Gustavo Zucchi e Murilo Ximenes – revela como o Mundial de 1950 foi preparado, suas intrigas políticas e desafios. O futebol era outro. O Brasil certamente também era outro e a própria Fifa não é a megapotência que hoje controla o maior esporte do planeta. Continuar lendo