A história de luta do povo basco

Entre os movimentos pela criação de um país independente e a radicalização do terrorismo, bascos sobrevivem como uma das etnias mais antigas da Europa

Carlos Minuano | 01/12/2010 11h39

Cansado da balada na noite anterior, o equatoriano Diego Armando Estacio preferiu esperar no carro pela namorada enquanto ela recepcionava os parentes do casal que desembarcariam a qualquer momento no Aeroporto de Madrid-Barajas, na capital espanhola. Estavam ansiosos para comemorar o Ano-Novo. Era 30 de dezembro de 2006. Por uma dessas estranhas (e mórbidas) coincidências, outro imigrante, Carlos Alonso Palate, também dormia num automóvel estacionado bem próximo ao de Estacio, na zona D do terminal T4. Às 9h01, 200 kg de explosivos colocados num furgão destruíram o local. Nenhum dos dois acordou e mais de 20 pessoas ficaram feridas. O estrago foi tamanho que os bombeiros demoraram quatro dias para conseguir resgatar o corpo dos equatorianos. Continuar lendo